Hino de Boa Esperança

Hino de Boa Esperança - Minas Gerais

 

POEMA DE UMA CIDADE
(Afonso José Felicori)
 
Amanheceu
Fez-se um sol brasileiro
Num Vale sereno das Minas Gerais
E então Nasceu
Uma Terra dengosa, charmosa e cheirosa
Cheinha de paz
E lá na Igreja
O senhor abençoa
E olha a cidade querendo abraçar
Tens uma gente tão boa
Que ama e respeita?
Da pracinha do Chico à rua direita
E um lago azul, mais azul que o mar
Boa Esperança Das fazendas de gado,
Da cana ao café Do Baú ao Serrote
Do Jardinzão
Que pelas madrugadas
Se enche do aroma
Da damas da noite
Dos festivais dos grandes carnavais,
Das rosquinhas de coco e das broas de trigo
Ontem me disseram que o amor em teu peito se encerra
Que o poeta subiu lá pro alto da serra
Para ver mais de perto o teu céu cor de anil,
Cresces, mas cá dentro, no fundo, inda és pequenina
Não és nada mais que uma linda menina
Pedacinho gostoso de chão do Brasil.

Lei Municipal 1456 de 15 de março de 1990

Lido 33477 vezes