A beira do Lago dos Encantos

O Lago dos Encantos é encantador.

O corpo de águas retidas por um pequeno dique separando a Represa de Furnas do nosso próprio Lago dos Encantos, Patrimônio tombado, encanta todos oferecendo um visual sossegador que muda com o tempo do dia e as estações. Num dia, ensolorado e azul, pálido e nebuloso, chuvoso e cinza, às vezes com ondas fortes, o visual do lago que combinando com a Serra da Boa Esperança no horizonte, apresenta sua beleza de forma variada.

 

 Além do seu charme o Lago é fonte de água potável para toda a cidade : SAAE: http://saae.boaesperanca.mg.gov.br/noticia.php?id=13

Nesse artigo no site da SAAE: http://saae.boaesperanca.mg.gov.br/noticia.php?id=13 , encontra-se informação pertinente ao sistema de abastecimento de água na cidade e o histórico do sistema criado pela Autarquia Municipal SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO – SAAE, pela Lei Municipal nº 451 de 15 de junho de 1965.

"Em 2001 foi inaugurada a nova Captação no Lago dos Encantos, que corresponde a 85% da água bruta utilizada."

Então me pergunto: por quê o reservatório de água potável (85% captada no lago) da cidade está sendo usado por jetskis, e as águas pluviais que não conseguem entrar na rede de esgoto pelos bueiros, vêm se escoar no Lago carregando com elas toda a sujeira das ruas, lixo, resíduo dos carros (amianto dos freios, óleo por ex.) e cada coisa mais nojenta do que a outra.

Aparentemente, pensam que um tratamento químico resolve tudo, mas não resolve tudo;  o cloro e o fluor são elementos pouco saúdaveis para nós.

Fonte SAAE: http://saae.boaesperanca.mg.gov.br/agua_tratamento.php

Doenças de transmissão hídrica: são aquelas em que a água atua como veículo de agente infeccioso. Os microorganismos patogênicos atingem a água através das excretas de pessoas ou animais infectados, causando problemas principalmente no aparelho intestinal do homem. Essas doenças podem ser causadas por bactérias, fungos, vírus, protozoários e helmintos.

Doenças de origem hídrica: são aquelas causadas por determinadas substâncias químicas, orgânicas ou inorgânicas, presentes na água em concentrações inadequadas, em geral superiores às especificadas nos padrões para águas de consumo humano. Essas substâncias podem existir naturalmente no manancial ou resultarem da poluição. São exemplos de doenças de origem hídrica: o saturnismo provocado por excesso de chumbo na água – a metemoglobinemia em crianças – decorrente da ingestão de concentrações excessivas de nitrato, e outras doenças de efeitos a curto e longo prazo.

A água é um importante meio de transmissão hídrica, notadamente do aparelho intestinal. As principais doenças têm como agentes infecciosos os seguintes organismos:

Bactérias: cólera ( Vibrio colerae )

febre tifóide ( Salmonella typhi )

febre paratifóide ( Salmonella paratyphi )

disenteria bacilar ( Shigella dysenteriae )

Protozoários: amebíase ( Entamoeba histolytica )

disenteria amebiana

giardiose ( geardia lamblia )

Vermes: esquitossomose ( Schistosoma mansoni )

Vírus: hepatite infecciosa

O tratamento visa melhorar a qualidade da água para abastecimento, do ponto de vista higiênico, remove bactérias, elementos venenosos ou nocivos, mineralização excessiva, teores elevados de compostos orgânicos, esteticamente corrige a cor, turbidez, odor e sabor, economicamente reduz a corrosividade, dureza, ferro, manganês, etc.

Processos de Tratamento:

1º) Floculação ( coagulação ): O sulfato de alumínio adicionado na água reage com a alcalinidade ( natural ou artificial ) da mesma e há a formação de flóculos que têm a propriedade de atrair as impurezas que a água possa conter.

2º) Decantação: os flóculos com as impurezas irão pesar e ir para o fundo dos decantadores.

3º) Filtração: alguma impureza ou flóculo que passar pela decantação ficará retida na areia dos filtros.

Com a passagem da água através do leito de areia verifica-se:

- remoção de materiais em suspensão,

- redução de bactérias presentes,

- alteração das características da água, inclusive químicas.

4º) Desinfecção: a desinfecção da água é feita pelo cloro e por isso, o termo desinfecção é comumente substituído por cloração. O cloro por ser um agente desinfetante é capaz de destruir as bactérias patogênicas ( que causam doenças ). A cloração vai garantir a qualidade da água até o consumo e nos reservatórios evitando uma contaminação.

5º) Correção do pH: consiste em adicionar cal hidratada na água para elevar o pH até a faixa de 7,3 , dando alcalinidade na mesma para que ela não fique ácida.

6º) Fluoretação: o flúor é adicionado pois, ajuda na formação de dentes mais resistentes à cárie.

Todas as fases do tratamento são acompanhadas através de análises em laboratório de 2 em 2 horas.

O SAAE segue as normas de padrão de potabilidade exigidos pelo Ministério da Saúde através da Portaria 518 de 03/2004. Inclusive conta também com laboratório próprio para serem feitas análises bacteriológicas.

Fonte SAAE: http://saae.boaesperanca.mg.gov.br/agua_tratamento.php


Created with flickr slideshow.

Lido 3472 vezes